Dicas básicas de gestão financeira para micro e pequenas empresas

Gestão financeira para micro e pequenas empresas: veja algumas dicas básicas que podem ajudar nas finanças do seu negócio.

Como fazer a gestão financeira de micro e pequenas empresas.

Se você é um MEI, ou possui uma microempresa (ME) ou empresa de pequeno porte (EPP), já deve conhecer a importância da gestão financeira para micro e pequenas empresas. Afinal, nenhum negócio consegue crescer de forma sustentável e sobreviver ao longo dos anos se não tiver um eficiente controle financeiro.

Isso se torna ainda mais importante em momentos de instabilidade econômica, como o que vivemos atualmente. Recentemente, uma pesquisa realizada pelo Facebook com pequenas e médias empresas demonstrou que quase 24% delas relataram fechamento em todo o mundo. O principal motivo foi a crise financeira, agravada pela pandemia da Covid-19.

Os dados são tristes, mas, infelizmente, não chegam a surpreender. Isso porque o pequeno empresário é sempre mais vulnerável a choques econômicos. E, quando as finanças não estão organizadas, as consequências tendem a ser piores para esses empresários.

Dicas básicas de gestão financeira para micro e pequenas empresas

Pensando nisso, elaboramos esse material com algumas dicas sobre gestão financeira para micro e pequenas empresas.

1 – Separe o orçamento pessoal das contas da sua empresa

A primeira dica diz respeito a um erro que muitos empresários cometem: misturar as finanças pessoais com o patrimônio da empresa. Para que uma gestão financeira seja eficiente, é importante que exista independência entre as contas do empreendedor e as da empresa.

Uma forma de começar esse controle é estabelecer um valor fixo de pró-labore. Assim, mesmo que o seu negócio tenha um lucro acima do esperado no mês, você limita a sua retirada de recursos e deixa o restante para investir na própria atividade ou para reforçar o caixa. Se você não separar o seu dinheiro do caixa da empresa, será difícil avaliar se o negócio está proporcionando o retorno financeiro desejado.

2 – Registre todas as entradas e saídas financeiras

Mantenha um registro contábil gerencial de todas as suas transações. Para isso, você pode tanto utilizar algum programa financeiro quanto as simples planilhas de Excel.

Por menores que sejam algumas despesas, como materiais de expediente e outros pequenos gastos do dia a dia, é muito importante registrá-las no momento que acontecem. Isso fará com que você tenha o controle sobre os seus gastos e possa compará-los mês a mês para saber se a gestão financeira vem sendo eficiente.

 

3 – Gerencie o seu capital de giro

Você sabia que, mesmo que o seu negócio seja rentável, a falta de gerenciamento do capital de giro poderá prejudicar as suas finanças?

Pense no seguinte: existem diversos compromissos que precisam ser pagos para manter a atividade da empresa, como fornecedores, salários, aluguel, entre outros. Normalmente, essas despesas têm vencimentos diferentes e, não necessariamente, deverão ser pagas quando você recebe as suas vendas. Pode ser que, no vencimento do aluguel, você tenha dinheiro em caixa. Ou pode ser que, naquele mês, você tenha vendido praticamente tudo no cartão e não tenha caixa o suficiente no dia de pagar o aluguel. Nessa situação, possivelmente você terá que recorrer ao limite bancário para quitar o compromisso e pagará juros bancários por isso.

O ideal ocorre quando os prazos de pagamento e recebimento coincidem, porém isso não ocorre com a frequência que o empresário gostaria. É aí que entra a importância da gestão de capital de giro. Para minimizar situações como essa, é importante ficar atento a todos os vencimentos e negociar todos os prazos possíveis, de forma que o seu descasamento de caixa (entradas e saídas em prazos diferentes) seja o menor possível. Dessa forma, você poderá evitar a utilização de crédito para suprir esse descasamento.

A gestão de capital de giro é um dos pontos mais trabalhosos de um negócio. E, quanto menos regulares forem as vendas, mais ela precisará ser pensada de forma eficiente.  

4 – Acompanhe os resultados mensalmente

Por fim, é importante que, no mínimo a cada mês, seja feito um levantamento do resultado do período. Ao monitorar as finanças, você saberá se as suas metas estão sendo atingidas, ou se há necessidade de ajustes na condução de seus negócios.

Essas foram algumas dicas básicas de como iniciar uma gestão financeira eficiente. Se você tem dúvidas ou se quiser orientações referentes a questões financeiras de sua empresa, clique aqui e contate nossos especialistas!


Entre em contato conosco se precisar de ajuda ou tiver dúvidas.

As cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, aceita o uso de cookies. Mais informações